COMO PEDIR

As encomendas devem ser feitas com 10 dias de antecedência ou de acordo com a nossa disponibilidade. Como os produtos são preparados de forma artesanal, as encomendas são limitadas. Por isso, para garantir a sua, entre em contato com o máximo de antecedência possível.

Segue o link com nossas sugestões de produtos - PRODUTOS E PREÇOS
Obs.: Os preços estão acima de cada imagem.

Se o pedido for de brigadeiros gourmet e você quer saber os
sabores, clique aqui.

A taxa de entrega depende do local. Consulte sua região aqui.

Forma de pagamento:
entrada de 50% via depósito bancário para reservar o pedido e o restante no ato da entrega em dinheiro ou cartão (Visa ou Master).

Faça o seu pedido através da nossa página de contato - CLIQUE AQUI

Siga as nossas redes sociais instagram e facebook.

Caso tenha alguma dúvida, estamos à disposição no whatsapp (71) 9 9323-2520.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

A História do Leite Condensado



No dia 22 de janeiro de 1890, o jornal O Estado de São Paulo trazia, em meio a seus classificados, um anúncio discreto. Desembarcara no Brasil e estava à venda “a varejo e em grosso” na drogaria São Paulo, na rua São Bento, um novo produto. Ótimo alimento para “creanças”, preferível mesmo ao leite fresco, esse novo produto era o leite condensado, que oferecia a garantia do nome do doutor Henri Nestlé. Realmente o nome do suíço Henri Nestlé já representava uma garantia para as mulheres bem informadas. Desde 1866, Henri Nestlé produzia na Suíça uma milagrosa Farinha Láctea, que era importada no Brasil pelos consumidores exigentes. E em 1876 fizera publicar no jornal uma carta que caracterizava uma afirmação indiscutível da sua confiabilidade e da preucupação com a marca que leva seu nome. A carta informava ao consumidor brasileiro que só existiam no País dois representantes autorizados para comercializar seu produto: o sr. D. Filipone, no Rio de Janeiro, e o sr. Henrique Levi, em São Paulo. Com essa carta ele pretendia evitar a venda de farinha falsificada, que usasse indevidamante seu nome. Sem dúvida, esse suíço era uma pessoa confiável e merecia crédito ao anunciar seu “Leite Condensado”.


O novo produto logo conquistou as preferências. Durante anos a fio, os carregamentos vindos da Suíça foram esperados com ansiedade. E quando nas boas casas de importados aparecia a tal latinha, trazendo espantada a figura de uma simpática mocinha suíça que permitia indentificar logo a procedência, as solitações eram imediatas. Todas queriam a “lata da mocinha”. E assim, a mocinha suíça entrou na cozinha brasileira e veio para ficar. Com o seu jeito de inventar e inovar, a mulher brasileira, para não ter de ler em inglês, transformou a mocinha da lata em marca, ao pedir, simplesmente, “aquela lata que tem a mocinha”, ou “a lata da mocinha”.essa indentificacão foi tão forte que mais tarde, quando se comecou a fabricar o leite do Dr. Nestlé no Brasil, não se hesitou em indentificá-lo como leite moça, marca que se preserva até hoje.




Cremoso, macio e doce, o Leite Moça ajustou-se às maravilhas, à tradição doceira do País, onde o sabor bem doce era um requinte tão prezado quanto a textura macia e cremosa. Esse novo produto não tardou a tornar-se indispensável. Para começar, o Leite Moça facilitou o preparo dos pudins, ambrosias, babas-de-moça, doces de leite. E ele foi entrando e refinando o preparo das cocadas, beijinhos, sequilhos e rosquinhas. Adoçou e tornou mais cremosa a canjica, o arroz-doce, o curau, os ovos nevados. Ajudou a tornar mais macio os bolos, os manjares e as balas. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo(a)!
Doe um comentário e faça uma doceira feliz!!! (rs)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...